quarta-feira, 30 de maio de 2012

Os exames estão aí!

É tempo de preparar os exames!


       Para os alunos do ensino secundário, junho não significa a proximidade das férias. Quem frequenta o 10.º e 11.º anos percorre ainda o caminho rumo ao ensino superior, para os do 12.º esse momento é agora. A pensar nos estudantes e nos pais, o EDUCARE.PT dá algumas ideias sobre como ultrapassar esta etapa.


       O calendário avança e o nervosismo cresce. Dos exames nacionais depende o futuro dos que veem na Universidade um sonho a alcançar. A expectativa é grande, sobretudo para os candidatos aos cursos com médias muito elevadas. Mas não há milagres. O acesso à tão desejada vaga não se faz da noite para o dia. Apenas um estudo realizado ao longo do ano escolar garante um final feliz. Com a primeira fase dos exames nacionais do ensino secundário marcada de 18 a 26 de junho, e a segunda entre 13 e 18 de julho, o EDUCARE.PT deixa alguns conselhos sobre como estudar.
Andreia Lobo I 2012-o5-28
Podes ler todo o artigo em www.educare.pt


Encontra, neste vídeo, da mesma fonte, alguns conselhos para evitares a ansiedade e o stress.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Concurso: Um dia sem os media


 Como seria a vida sem os media?

Após divulgação do concurso, promovido pela  RBE e PNL, em colaboração com o Gabinete dos Meios de Comunicação Social, em que se pretendia que os alunos criassem uma frase que representasse a ideia de uma vida sem as tecnologias e aplicações de comunicação, muitos foram os professores com as respetivas  turmas e alunos  que quiseram participar, pois o prémio anunciado era deveras aliciante.
Assim, o júri selecionou, entre centenas de frases/slogans, aqueles que melhor conseguiram traduzir a questão: Como seria a vida sem os media?
A aluna vencedora foi Inês Leal da Costa, do 9º A. O júri, também, atribuiu menções honrosas aos alunos Jorge Costa do 9º A e Luís Vaz do 8º B.   

Frases/ideias seleccionadas:

Telemóvel, meu amigo,
Minha janela aberta ao mundo!
Eu contigo, tu comigo,
Ligados por um elo profundo.
Quem precisa de 80 dias para dar a volta ao mundo? MEDIA… Liga-te! 

Inês Ferrão Leal da Costa, 9º Ano, Turma A nº15

Os MEDIA, um tempero para a vida…
Sem eles, um sabor a menos na nossa vida!

Jorge Costa, 9º Ano, Turma A, nº 19


Um dia sem as tecnologias… era regressar ao pretérito (im)perfeito!

Luís Miguel Ferraz Vaz, 8º Ano, Turma B, nº 18

Parabéns a todos os participantes.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Exposição


Exposição: Planeta cor de Água


Com a organização da área disciplinar de Biologia e Geologia e com o patrocínio de uma operadora de telecomunicações, está a decorrer na Biblioteca do edifício da Escola Secundária, depois de ter estado na escola sede, uma exposição subordinada ao tema “Planeta cor de Água”.
Além de vários cartazes informativos, os visitantes podem visualizar um vídeo onde se realça a importância da água. Vivemos num planeta que se chama Terra, mas mais de 70% da sua superfície encontra-se coberta por oceanos. É graças à água que existe vida no nosso planeta. A água marca os ritmos do clima, cria e recria paisagens e dita a vida e a morte de todos os seres vivos.
Desde a descrição do símbolo químico da água à explicação minuciosa do seu ciclo natural, o visitante encontra uma vasta informação sobre este bem precioso que todos temos que aprender a preservar.
Como força criadora de paisagens, como elemento essencial à vida ou como fonte de energia, a água tem sido também fonte de inspiração artística e possui um forte simbolismo em religiões e mitologias.
Visita a exposição e aprecia como a água se insere em todas estas e muitas outras temáticas.
No fim poderás testar os teus conhecimentos através de um pequeno jogo e receberás um brinde surpresa.

















terça-feira, 22 de maio de 2012

Alunos criativos - 2


Seguindo o modelo do conto “Um segredo” de Rosa Lobato de Faria, o aluno Pedro Matos, do 10.º C, redigiu o seguinte relato autobiográfico de um objeto que era muito querido a alguém:

      Tic-tac, tic-tac. Dançam os meus ponteiros a este som das rodas dentadas. Dançam num palco de brilhantes traços e números, contando as voltas do mundo até que as baterias se gastem.
     Os meus braços roxos que outrora abraçavam o pulso de uma rapariga de cabelos loiros, abraçam, agora, o de um rapaz que desejava poder chamar “amor” àquela jovem. Sei disto, porque ele me conta. Tudo o que ouço, guardo como um segredo e as revelações que estão agora guardadas nos meus ponteiros são as deste rapaz. Ele já me perguntou quais os segredos que eu sabia da minha antiga dona, mas não obteve nenhuma resposta, pois eu sou um relógio e a única coisa que sei dizer é…tic-tac, tic-tac.
Fonte: http://3.bp.blogspot.com/_I5ku6JmeJEA/S1wu470lJ8I/AAAAAAAABgU/r6Ii0xQActg/s320/rel%C3%B3gio+1010.jpg


Seguindo o mesmo modelo do conto “Um segredo” de Rosa Lobato de Faria, também o aluno André Cruz do 10.º C redigiu o seguinte relato autobiográfico de um objeto que lhe é muito querido:

Fonte: http://www.dv247.com/assets/products/37113_l.jpg

      Desde os meus leves e finos cabelos de nylon ao meu extenso e forte braço, eu vos venho falar da minha vida que apenas tem um dono.
     Logo que o vi, apreciei o seu estilo, as suas mãos, os seus olhos e apercebi-me logo que tinha chegado a hora de deixar as minhas colegas e sair, de uma vez por todas, daquela pequena loja, ao fundo da rua.
     Nasci há cerca de três anos numa pequena vila a norte de Munique, na Alemanha, numa enorme fábrica de divino encanto. Sou feita de uma madeira intensa e tenho um tom que lembra o pôr-do-sol.
     Desde então, tem sido quase como um amor platónico, o que sinto pelo meu dono. As suas mãos suaves e agressivas ao mesmo tempo encerram um contraste estranhamente agradável. Fui batizada como Bianca mas, na verdade, sou uma Epiphone LP 100. Com o meu amo, sinto-me realizada!

Baseado no conto “Um segredo” in «Os Linhos da avó» de Rosa Lobato de Faria.


NOTA: Felicitamos os alunos que realizaram estes bons trabalhos e nos permitiram a sua publicação com os títulos Trabalhos criativos 1 e Trabalhos criativos 2.
 Parabéns aos autores e à professora que os incentivou à criação!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Alunos criativos - 1


Seguindo o modelo de um poema de José Saramago (“Receita” de Os Poemas Possíveis), os alunos redigiram os seus próprios poemas / “receitas”, que aqui publicamos, com a colaboração da professora Adozinda Fontoura:



Receitas para ser feliz

I
Tome-se uma pessoa alegre
Com confiança e motivação,
Três gotas de alegria e muita diversão.
Quando esta solução já ferve,
Junta-se-lhe uma alma gémea
Com carinho e doçura.
Um grama de sofrimento
E resultará um coração de um grande comprimento.

Catarina Almeida e Vítor Abreu, 10.º A

II
Tome-se um ser ansioso,
Que deseje liberdade,
Que nada tenha de invejoso
E só queira a felicidade.
Junte-se-lhe uma dose de amor,
uma pitada de sorrisos,
talvez uma flor e
uma carrada de amigos.
Acrescente-se um pouco de esperança
E a alegria está garantida,
Pois entrando na dança
A vida parece mais florida.

Isabel Moreira, Diogo Gonçalves e Carlos Teixeira, 10.º A

III
Tome-se uma criança sonhadora,
Um jardim verde com flores,
Muitos amigos verdadeiros,
Vontade de sair à rua e brincar.
Quando o preparado já ferve,
Deita-se uma pitada de loucura,
De gargalhadas e diversão e,
Assim, o sorriso de uma criança verão.

Adriana Guedes e Bruno Bastos, 10.º A


IV
Tome-se um coração a transbordar de amor,
Uma mão cheia de amizade verdadeira,
Uma pitada de sorte para dar sabor,
Uns gramas de ambição para sermos os primeiros;
Uma família que dê grandes doses de responsabilidade,
Um sopro de sinceridade para não perder o juízo,
E uma humildade ainda maior do que isso.
Vai-se pondo um pé à frente do outro,
Avançando cada dia mais um pouco.
Só se é feliz sendo louco.

Bruna Teixeira, Paula Fenta, Margarida Teixeira, 10.º B

V
Tome-se uma pessoa vulgar,
Pronta para desfrutar e amar.
Junte-se-lhe uma tonelada de amor,
Um olhar verdadeiro,
uma  vontade que não pode ser quebrada
Kg de carinho e
Muito amigos verdadeiros.
Decore-se com flores, rios e sonhos de criança,
Conseguindo, assim, uma felicidade imensa.

Diana Batista, Patrícia Portelinha, Lígia Macedo e Isabel Ferreira, 10.º B

VI
Tome-se um jovem vulgar
Misture-se amor e compreensão
Com pitadas de doçura e paixão.
Muitas colheres de paz, respeito e carinho
E, assim, ele nunca ficará sozinho.
Acrescentem-se-lhe kg de amizade
Coloque-se na vida e
Ele irradia felicidade.

Mónica Jesus, Inês Queirós, Jorge Granja, Sara Macedo, 10.º C



Receitas para fazer um bom aluno

I
Tome-se uma criança motivada,
Uma prateleira de livros coloridos,
Lápis, cadernos e borrachas.
Junte-se-lhe vontade de descobrir e crescer.
Quando o preparado já ferve,
Deita-se uma pitada de confiança,
Grãozinhos de amor e motivação.
Na pauta, os resultados se refletirão.
Adriana Guedes e Bruno Bastos, 10.º A

II
Tome-se um jovem como nós,
Adiciona-se-lhe paciência, regras,
Assiduidade e muita força de vontade.
Junta-se tudo e vai ao forno da escola
Durante alguns anos letivos
E, assim, se obtém um aluno
Apetitosamente bem-sucedido.

Alexandra Teixeira e Margarida Borges, 10.º A

Receitas para o amor

I
Tome-se uma mulher e um homem fiel
Um coração grande e cheio de doçura
Duas pitadas de carinho e uma colher de mel
Quando a paixão já arde
Acrescenta-se um pouco de loucura.

Mónica Carvalhais e Nicole Moreira, 10.º A

II
Tome-se uma mulher e um homem
Acrescente-se uma colher de compreensão
E uma boa dose de paixão.
Junte-se, ainda, uma pitada de carinho,
A amizade, a alegria e o respeito, devagarinho.
Por fim, vai ao forno da vida
Crescendo mais e mais.
Coloca-se-lhe uma cobertura de confiança
E um pouco mais de calor
E este casal irradiará o amor.

Cíntia Rodrigues, Gil Magalhães, Miguel Rodrigues, 10.º C


Receita para a amizade

Tomem-se jovens bem-dispostos,
Palavras de encorajamento.
Misturem-se-lhe desabafos, lágrimas e os afetos do momento.
Junte-se-lhe, ainda, pitadas de brincadeiras,
E gargalhadas verdadeiras.
Vão-se formando fortes laços
Que ninguém pode quebrar.
Reforça-se tudo com abraços
Para a amizade perdurar.

Rita Dias, Sofia Rodrigues, Sabina Teixeira, 10.º B


Receita para fazer um herói

Tome-se um homem com uma grande força interior
Envolva-se num forte e saudável corpo.
Coloque-se perante um verdadeiro desafio.
Junte-se-lhe a persistência e a confiança
Espere-se, depois, que vá chegando cada mais longe
E decore-se com folhinhas de louro.

João Cristiano, Alexandre Mendes e Ricardo Ferreira, 10.º B


segunda-feira, 14 de maio de 2012

Orientação Escolar


Com o apoio da Coordenadora dos Diretores de Turma do 2º e 3º Ciclos, professora Isabel Sousa, e com o objetivo de preparar a nova matrícula dos alunos que estão a terminar o 9º Ano de Escolaridade, divulgamos, aos alunos e suas famílias, as ofertas de cursos de ensino secundário que têm à sua disposição. 
Os alunos poderão escolher entre um curso, preferencialmente dirigido para o prosseguimento de estudos de nível superior (Cursos Científico-Humanísticos), ou um Curso Profissional que, no final do 12º Ano, os habilitará para o exercício de uma profissão.
No documento anexo poderão conhecer as matrizes dos Cursos Científico-Humanísticos e também os Cursos Profissionais, existentes no Agrupamento (ou noutras escolas do distrito).
Estar informado é essencial para uma escolha acertada.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Vencedora do passatempo “Descobre quem sou…”



A aluna Ana Sofia Chaves, do 12º B, foi a vencedora do nosso passatempo “Descobre quem sou…”, baseado em escritores portugueses, cujos nomes tinham que descobrir, a partir de pistas fornecidas sobre a sua vida e obra.
Constatou-se que vários alunos tiveram resposta correta para todos os escritores apresentados. Por isso, e de acordo com o regulamento previamente divulgado, o vencedor foi sorteado entre esses, tendo-lhe a nossa Biblioteca Escolar atribuído um prémio simbólico.
Parabéns a todos os participantes!

A premiada: Ana Sofia Chaves

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Para comemorar o Dia da Mãe, a BE vem propor-te um desafio: lê os dois poemas selecionados, aprecia-os e faz a tua escolha, votando naquele que gostarias de dedicar à tua Mãe.


Poemas para o Dia da Mãe

Poema à Mãe, de Eugénio de Andrade -  Poema A
No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.

Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.

Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!

Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;

Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;

Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...

Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.


Para Sempre, de Carlos Drummond de Andrade – Poema B
Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.



2ª Fase do Concurso Nacional de Leitura - PNL


         Decorreu, ontem, na simpática vila de Murça, a fase distrital de apuramento para o Concurso Nacional de Leitura do PNL.
       Estiveram envolvidos nesta atividade um grande número de alunos das muitas escolas de todo o distrito de Vila Real, realizando várias provas eliminatórias.
       O nosso Agrupamento esteve representado, a nível de 3º Ciclo, pelas alunas Margarida Fontoura do 7º A e Inês Costa e Joana Machado, ambas do 9ºA.
      Qualquer das participantes revelou muito empenho e completo conhecimento das obras que serviram de base a esta fase do concurso: O rapaz do rio, de Tim Bowler e Alma de Manuel Alegre.
      Apesar de não termos conseguido representar o distrito na final nacional, as nossas participantes estão de parabéns por fazerem da leitura um modo muito agradável de viver a vida.







Um dia com os media

     Hoje, 3 de maio, várias entidades ligadas à comunicação e à educação para os media vão lançar, pela 1ª vez, a iniciativa Um dia com os media, que visa promover o espírito crítico e a criatividade relativamente aos meios de comunicação.

      A Rede de Bibliotecas Escolares e o Plano Nacional de Leitura associam-se a esta iniciativa convidando os alunos dos diferentes ciclos de ensino a responderem, através de um slogan, à questão: Como seria a vida sem os media?


Se queres ganhar um "Tablet"...

                 
 ... participa no concurso de hoje, 3 de maio!

Como seria a vida sem os media?

     Imagina como seria a vida sem telemóvel, televisão ou computador, sem livros,  jornais, revistas ou cinema, sem consola de jogos, sem mp3, mp4, tablets, youtube, facebook …
Que sentido teria essa vida? Como nos sentiríamos?



      Cria uma frase/slogan que represente a ideia de uma vida sem as tecnologias e aplicações de comunicação e deposita-a numa caixa própria, na Biblioteca.

Aproveita esta oportunidade! Participa!

terça-feira, 1 de maio de 2012

1º de maio - DIA DO TRABALHADOR


1.º de Maio - Dia do Trabalhador


Chicago - 1 de maio de 1886
  •  Todos os anos, no dia 1 de maio, comemora-se, em todo o mundo, o Dia do Trabalhador.
  • As origens do Dia do Trabalhador não são muito recentes. A história deste dia começa no séc. XIX.
  • Nessa época, abusava-se muito dos trabalhadores, porque chegavam a trabalhar entre 12 e 18 horas por dia, o que era muito cansativo e até prejudicial à saúde!
  •  Já há algum tempo que os reformadores sociais (aqueles que propunham reformas, ou seja, mudanças na sociedade) defendiam que o ideal era dividir o dia em três períodos: 8 horas para trabalhar, 8 horas para dormir e 8 horas para o resto, o que incluía a diversão.
  •  Foi com o objectivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diárias que, no dia 1 de Maio de 1886, milhares de trabalhadores de Chicago (EUA) se juntaram nas ruas para protestar contra as suas más condições de trabalho.
  • A manifestação devia ter sido pacífica, mas as forças policiais tentaram pará-la, o que resultou em feridos e mortos.
  •  Este acontecimento ficou conhecido como "os Mártires de Chicago", por causa das pessoas que foram feridas e mortas só por estarem a lutar pelos seus direitos.
  • Quatro dias depois, houve uma nova manifestação pela redução do horário de trabalho e melhores condições.
  •  Mais uma vez, a polícia virou-se contra os manifestantes e acabou por prender 8 pessoas, 5 das quais foram condenadas à forca!
  • Como o povo estava cada vez mais revoltado, estas condenações só serviram para "deitar mais achas na fogueira" e despertar a atenção de todo o mundo.
  •  Em 1888, dois anos depois destes acontecimentos, os presos foram libertados por um júri que reconheceu que os trabalhadores estavam inocentes.
  • Em 1889, o Congresso Internacional em Paris decidiu que o dia 1 de maio passaria a ser o Dia do Trabalhador, em homenagem aos "mártires de Chicago".
  •  Só em 1890, os trabalhadores americanos conseguiram alcançar a sua meta das 8 horas de trabalho diárias!
  • Em Portugal, devido ao facto de ter havido uma ditadura durante muito tempo, só a partir de maio de 1974 (o ano da revolução do 25 de Abril) é que se passou a comemorar publicamente o Primeiro de Maio.
  • Sabias que só a partir de maio de 1996 é que os trabalhadores portugueses passaram a trabalhar 8 horas por dia  (40 horas semanais)?