terça-feira, 18 de setembro de 2012

26 de setembro - DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS

26 de setembro - DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS
A União Europeia e o Conselho da Europa tomaram a iniciativa de comemorar o Ano Europeu das Línguas em 2001 e, desde então, o dia 26 de setembro é consagrado às línguas europeias.
A Europa possui um imenso património linguístico: 23 línguas oficiais e mais de 60 línguas regionais ou minoritárias, além das línguas faladas pelas pessoas de outros países e continentes que vivem na Europa.

 Para comemorar esta diversidade linguística e fomentar a aprendizagem das línguas, e visto que as línguas são um dos fundamentos da construção europeia, essa iniciativa deu origem ao Dia Europeu das Línguas, que tem três objetivos: sensibilizar as pessoas para o plurilinguismo na Europa, cultivar a diversidade cultural e linguística e incentivar as pessoas a aprenderem línguas, dentro e fora do contexto escolar.

Além de prosseguir esses objetivos, o dia 26 de setembro é também uma ocasião para celebrar. Todos os anos, são organizadas centenas de eventos em toda a Europa relacionados com as línguas: espetáculos, animações para crianças, jogos musicais, cursos de línguas, programas de rádio e de televisão, conferências …

Línguas oficiais da UE

A União Europeia tem 23 línguas oficiais e de trabalho: alemão, búlgaro, checo, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, estónio, finlandês, francês, grego, húngaro, inglês, irlandês, italiano, letão, lituano, maltês, neerlandês, polaco, português, romeno e sueco.

O primeiro regulamento da UE sobre o seu regime linguístico foi aprovado em 1958. Especificava que as línguas oficiais e de trabalho da UE eram o alemão, o italiano, o francês e o neerlandês, isto é, as línguas dos países membros da altura. À medida que mais países foram aderindo à UE, o número das línguas oficiais e de trabalho foi aumentando. Todavia, o número destas é inferior ao dos Estados-Membros, uma vez que algumas são comuns a mais do que um país. Por exemplo, na Bélgica, as línguas oficiais são o alemão, o francês e o neerlandês e, em Chipre, a maioria da população fala grego, que é a língua oficial do país.

Línguas regionais e minoritárias


A UE tem uma política positiva em relação às línguas regionais e minoritárias, consagrada na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, cujo artigo 22º estabelece que "A União respeita a diversidade cultural, religiosa e linguística."

 

Não te esqueças:

 

Aprender uma língua estrangeira constitui um desafio.

 

Aprender uma língua estrangeira ajuda a abrir portas.

 

Todos podem e devem aprender línguas!

 

 

Sem comentários:

Publicar um comentário