Leituras Partilhadas


Lengalenga dos nomes

O Afonso não é sonso.
A Ana come uma banana.
A Brenda recebeu uma prenda.
A Carolina era uma bailarina.
A Cristiana é amiga da Mariana.
O Diogo apaga o fogo.
O Gonçalo adora andar a cavalo.
A Inês fala português.
A Isabel é frágil como o papel.
O João conduz o avião.
A Juliana gosta da Ana.
O Lourenço limpa-se com o lenço.
O Lucas tem muitas perucas.
A Mafalda Gil é gentil.
A Mafalda Mofreita é muito bem feita.
A Mafalda tem uma fralda.
A Margarida tem muita vida.
A Maria é amiga da Sofia.
A Maria João viu um leão.
A Mariana vê uma iguana.
O Matheo fala com o Romeu.
A Matilde Teixeira vai comprar peixe à peixeira.
O Rodrigo Teixeira faz coisas à maneira.
O Rodrigo viu uma pessoa em perigo.
O Santiago junta-se ao Rei Mago.
A Sofia toca bateria.
O Vasco foi ver o frasco.
Trabalho do 3.A




A Alice fez uma tolice.
A Ana ajuda a Diana.
A Benedita tem uma fita.
O David vai comprar um cabide.
A Diana veste o pijama.
O Gabriel pinta com o pincel.
O Guilherme tem um creme.
O Guilherme foi comprar Tulicreme.
A Inti gosta de ti.
O João foi comprar pão.
A Laurinda é linda.
A Leonor foi ao doutor.
A Clara tem uma vara.
A Matildinha tem uma bonequinha.
A Raquel põe o anel.
O Ricardo viu um leopardo.
O Rodrigo tem um umbigo.
O Rodrigo come trigo.
O Tomás teve uma fuga de gás.
Trabalho coletivo:

 Turma 4.º C
_____________________________________________


Biblioteca Escolar de Pedras Salgadas, um espaço que nos cativa!
As crianças do pré-escolar de Pedras Salgadas visitam regularmente a biblioteca escolar para a realização de atividades, em articulação com a biblioteca e a comunidade escolar.
Dada a importância da participação dos pais/encarregados de educação na escola, a presença destes é já uma rotina habitual, participando no processo educativo, contando histórias de encantar e, promovendo assim, o desenvolvimento da imaginação, o gosto pela leitura e a aquisição de competências e saberes.
Espaço privilegiado para o aprofundamento do conhecimento, é um local muito apreciado pelos mais pequeninos, onde se sentem apoiados, acarinhados, num ambiente já familiar.

A educadora

Isabel Coimbra


Durante os meses de janeiro e fevereiro realizaram-se diversas actividades direccionadas a todos os alunos do Centro Escolar de Vila Pouca de Aguiar.
Os alunos do 1º e 2º  anos trabalharam a história: “A que sabe a Lua?” de  Michael Grejniec  e os alunos do 3º e 4º anos trabalharam a obra: “ A menina que dormia a sorrir” de Isabel Zambujal.
As atividades foram dinamizadas pelas docentes: Bernardete Leite, Isabel Monteiro e Maria de Fátima Adão.
Os alunos tiveram a oportunidade de ouvir as histórias, fazerem a sua exploração oral e de realizarem trabalhos de grupo alusivos às mesmas.
Os alunos demonstram entusiasmo pelas atividades propostas








Cumpriu-se a tradição. Alunos e professores do Pré-escolar e 1º ciclo cantaram os reis na escola.

Os alunos ainda participaram na atividade " Factos históricos sobre os Reis Magos".






Leituras Partilhadas na BE de Pedras Salgadas




Visita à Biblioteca de Pedras Salgadas

Exploração da História


Leituras Partilhadas na BE de Pedras Salgadas

Parcerias com o nosso Agrupamento

 

 

Semana da Leitura 2014


 

Dia Mundial do Teatro

 

DIA MUNDIAL DA POESIA

Neste dia particular…
Vive a Poesia! Lê poetas e poetisas portugueses!
Escreve Poesia. Tenta SER POETA!
Mas o que é “SER POETA”?

Florbela Espanca definiu-o neste belo poema. Ouve-o e aprecia o vídeo criado por jovens como tu!

 

 Benefícios e riscos da utilização do FACEBOOK

Hoje, no programa "Prós e Contras" da RTP, vão debater-se os benefícios e os riscos da utilização do Facebook. Porque se trata de uma temática de grande interesse para todos e porque estamos no mês em que se promove "Uma Internet mais Segura", parece-nos ser um programa a não perder....
   

 

 

Aprender com a Biblioteca Escolar

Para uma Internet mais Segura ...  Refletir e Comentar
A exposição de tiras de banda desenhada baseadas em situações de risco foi uma das atividades promovidas pela BE, durante o mês de fevereiro, para promoção de uma utilização mais segura e defensiva da Internet.
Individualmente ou em grupos(turmas), os alunos observaram, refletiram, comentaram e discutiram as questões que cada tira lhes colocava e, utilizando um impresso próprio que lhes foi disponibilizado, registaram as suas reflexões e conclusões. Aqui vos deixamos alguns excertos dos seus comentários:
“Com o cartoon relacionado com a proteção de dados, podemos concluir que não devemos partilhar toda a nossa vida pessoal nas redes sociais. A divulgação de dados pessoais pode pôr em causa, não só a nossa vida, mas também os nossos bens. (…).
 Cristina, Soraia, Mariana e Manuel - 10ºB
  
A tira com o título Sentido Critico é uma chamada de atenção à falta de sentido crítico dos alunos que fazem trabalhos pela Internet e que não se preocupam em verificar a veracidade dos conteúdos que encontram nas suas pesquisas. A Internet coloca bastante informação ao nosso dispor, mas nem toda essa informação é válida ou verdadeira. (…)
Para evitar essas situações devemos consultar vários sítios, comparar informações e verificar as fontes, respeitando sempre os direitos de autor.
Gabriel, Pedro – 10º A
“…. A utilização incorreta do Facebook pode trazer sérios problemas para a nossa vida social. Convites de desconhecidos, amizades falsas, divulgação de dados pessoais, são algumas das questões que nos podem ser prejudiciais. Podemos ter a liberdade de usar o Facebook, mas devemos fazê-lo com o máximo de responsabilidade.”
Carlos Coelho, Toni Chaves, Gil Fernandes – 10ºB
“ A partir do momento em que tornamos públicas as nossas informações privadas, a situação pode fugir do nosso controlo…..”
Sara Vilela, Sara Costa, Sara Barreiro, Martinha e Andreia- 10ºA
….. as situações de cyberbullying mostram-nos que, apesar de tantos alertas e avisos, a Internet não é sempre utilizada da forma mais correta e segura.”
Juliana Gonçalves, Tatiana, Luís, João – 10ºA
A Exposição:
                                
Leitura e seleção da(s) tira(s) a analisar e comentar:
Discussão/Comentários/Conclusões:
Hora do Conto
Dando continuidade à hora do conto, com as turmas de 1º, 2º e 3º Ciclos,  a biblioteca escolar desenvolveu atividades centradas à volta da leitura, durante o mês de novembro e dezembro.
Os alunos têm aderido com bastante entusiasmo aos textos escolhidos e às tarefas propostas.
Contos apresentados:
Montagem criada Bloggif
Montagem criada Bloggif

Aos alunos do 3º ciclo

7ºAno : Enxertos da obra “O mundo em que vivi” de Ilse losa e “ História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar” de Luís Sepúlveda.


8º Ano: como preparação para a época natalícia que se avizinha, foi trabalhado o "conto Natal"de Miguel Torga. 


Montagem criada Bloggif
As turmas receberam muito bem a atividade e participaram ativamente na encenação.
 No final da sessão o conto foi disponibilizado aos alunos, em formato digital, sendo-lhes feito o convite/desafio para que o reproduzissem em casa, no seio da família. A ideia foi aceite com muito interesse e entusiasmo. Esperamos ter lançado a semente e que a leitura possa ser um motivo de união, de convívio e de conversa em cada casa.

III CONCURSO “CARTA A LOS REYES MAGOS”

         Os professores de espanhol das escolas do concelho Chaves (Escola Fernão de Magalhães); Peso da Régua, (Agrupamento Vertical de Escolas Dr. João de Araújo Correia); Vila Real (Escolas Morgado de Mateus, Monsenhor Jerónimo do Amaral e Camilo Castelo Branco) e Vila Pouca de Aguiar (Agrupamento Vertical de Escolas de Vila Pouca de Aguiar Sul) promoveram o III Concurso “Carta a Los Reyes Magos”.
Este teve como principais objetivos: desenvolver a expressão escrita e promover a criatividade e imaginação dos alunos do ensino básico e secundário que estudam a língua espanhola enquanto adquirem conhecimentos linguísticos e culturais do país vizinho, através da elaboração de uma carta, em espanhol, dirigida aos Reis Magos.
O júri deste concurso – professores da UTAD - premiou 4 vencedores: 3 do ensino básico e 1 do Ensino secundário.
A nossa escola obteve dois prémios:  um no ensino básico atribuído à aluna Sara Filipa Teixeira Vilela – 9.º B  um no ensino secundário para a aluna Ana Maria Pires Ribeiro – 11.º C
A entrega de prémios realizar-se-á na Câmara Municipal de Vila Real, no dia 7 de janeiro.
PARABÉNS!
Hora do conto
Ao longo do mês de outubro, foram realizadas, pela equipa da BE, sessões da Hora do Conto a todas as turmas dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico.
Foram escolhidas, para todos os anos à exceção do 1ºano, histórias alusivas aos livros e/ou às bibliotecas, uma vez que nos encontrávamos a comemorar o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.
No Centro Escolar, às turmas do 1º ano, foi contada a história 
“A que sabe a lua?”.
Para as turmas do 2º ano, a história escolhida foi
 “A lagarta que rugia”.

No 3º ano, a partir da obra “O Livro que falava com o Vento e Outros Contos” de José Jorge Letria, foi contada a história “O Rato de Alexandria”, e da mesma obra “O Rei Dentro do Livro”, foi a história escolhida para as turmas do 4º ano. 

Montage créé avec bloggif 
No caso das turmas do 2º Ciclo, a obra escolhida foi “O Barco de Chocolate”, de Cristina Norton, tendo sido contada aos alunos a primeira história desta colectânea, “O Conto Comprido”. A partir da leitura, foi lançado aos alunos o desafio “Dar vida ao conto comprido”, tendo como objetivo a criação de um  conto original. Aos trabalhos recebidos, foram atribuidos prémios: no 5º ano, o conto vencedor foi " A luta pelo sonho" de Sara Redondo do 5ºB, nº25 ; no 6º ano, o melhor conto foi "Um Conto de Natal " de 
 Andé Silva do 6ºA, nº3.

A luta pelo sonho
A história que vou contar é um pouco triste mas… com um final feliz.
Era uma vez, uma menina chamada Madalena.
Ela nunca conhecera os pais, pois fora deixada com uma avó, quando os pais emigraram para o Brasil e eles nunca mais voltaram.
Madalena cresceu, dizendo que um dia iria à sua procura. E assim foi.
No dia em que fez dezoito anos, saiu em busca do sonho, prometendo à avó que um dia regressaria. Após uma longa viagem, até ao Brasil, procurou os seus pais.
Passados alguns dias, Madalena começou a ficar desanimada, mas eis que sem contar encontrou uma senhora que os conhecia. Logo recuperou, seguindo os passos que a simpática senhora lhe indicou. Ao chegar lá, Madalena bateu a porta, mas não estava ninguém. Sentou-se no degrau e esperou. Era já noite quando viu alguém chegar, e embora nunca tivesse visto, tinha a certeza que eram os seus pais. O seu coração batia num ritmo acelerado! Quando Madalena se apresentou, abraçaram-se e choraram,  não de tristeza mas… de alegria! Passaram a noite a conversar sobre o passado e Madalena finalmente percebeu tudo o que se tinha passado.
E voltaram os três para junto da avó.

Fim
Trabalho elaborado por: Sara Redondo, 5ºA, nº25
Um conto de Natal
Era uma vez um menino muito pobre chamado Bruno. Ele era um menino muito querido só que os pais eram pobres. O maior sonho dele era no Natal poder receber a prenda do melhor que havia no mundo que era os pais poderem arranjar um emprego.
Quando ele ia para a escola os colegas gozavam-no por ele andar sempre com a mesma roupa por ser pobre, mas houve um colega que se chamava Gonçalo que o ajudou.
Ele disse a Bruno para não ligar ao que os outros diziam dele. O pai de Gonçalo era patrão de uma empresa de autocarros. Então o Bruno disse a Gonçalo que o seu pai era desempregado e que era pobre. Então Gonçalo chegou a casa virou-se para o pai e disse:
- Pai hoje o meu amigo Bruno disse-me que toda a escola gozava com ele por ele ser pobre e os pais serem desempregados. Ele também disse que o maior presente de Natal que lhe podias oferecer era um emprego para os pais. Será que podias dar um emprego aos pais dele?
- Filho essa história comoveu-me, no Natal vamos a casa do teu amigo e dizer-lhes!
-Obrigada pai!
No dia seguinte, foi para a escola mas não disse nada ao seu amigo acerca da conversa com o seu pai.
Era Natal, o Bruno estava em casa com os seus pais a jantar quando ouviram a campainha a tocar e Bruno foi abrir a porta e viu Gonçalo e o seu pai e lhe disseram:
-Feliz Natal!!!!
Bruno ficou muito contente ao ver o seu amigo. O pai de Gonçalo disse aos pais de Bruno:
- Vim aqui por causa de um assunto que é a vossa vida. Vim aqui dizer-lhes que vos arranjo emprego na minha empresa ao senhor como motorista e a sua mulher como mulher das limpezas.
- Muito obrigado, estamos-lhe muito agradecidos, concretizou o nosso sonho de Natal.
O nosso Bruno ficou tão contente que nem dormiu nada.
Todos nós temos um sonho e temos que aguentar todas as coisas más e boas que se metem no nosso caminho e concretiza-los como a família do Bruno conseguiu um emprego e conseguiu mudar as suas vidas.
Trabalho elaborado por André Silva, 6ºA, nº3
Melhor trabalho nível secundário
Um Livro raro
                Mais um dia que está prestes  a acabar, mais um dia em que estou nesta enorme biblioteca, com muitos livros, que as pessoas leem e voltam a ler. Alguns livros até devem estar cansados de tanto pegarem neles.
                Ao meu lado estão livros, à minha frente estão livros, atrás de mim continuam livros e, algures, por aí, está uma secretária, também com livros.
                Nessa secretária trabalha um senhor, um senhor de idade, com óculos e sempre bem vestido, mas muito rezingão.                 Ralha com todos. Ou porque fazem barulho, ou porque pegam nos livros só para brincar, ou porque …, ou porque…
                O dia chegou ao fim e a grande biblioteca da cidade acabara de fechar.
O Sr. Domingos, o senhor que trabalha na biblioteca, arrastava com toda a força o carrinho de mão onde as pessoas colocavam os livros quando os tiravam das estantes para ler, ou, até mesmo, para folhear.
                Os livros estavam arrumados nas estantes, por classes e o senhor Domingos já há muito tempo que não punha um livro na estante onde eu me encontrava. Era a estante da História e aqueles livros já não se abriam há anos.
                As pessoas que iam à biblioteca liam jornais, revistas e livros de todas as estantes, menos os da estante de História ….
                Eu perguntava-me porquê, mas nunca chegava a uma conclusão. Seria porque todos os livros desta estante eram grandes? Seria porque a capa dos livros não chamava a atenção das pessoas? Ou seria porque as pessoas não gostavam mesmo de História?
                O Sr. Domingos acabou de arrumar os livros e fechou a grande biblioteca. Amanhã era outro dia!
                E o dia seguinte chegou. Um dia como todos os outros. Logo de manhã as pessoas entravam, sentavam-se, liam todos os livros e mais alguns, menos os de História.
                Mal o Sr. Domingos abriu as grandes portas da biblioteca, um raio de sol veio em direção à estante onde eu estava, a estante de História.
 O Sr. Domingos aproximou-se, pegou em mim e noutro livro enorme e colocou-nos em cima da sua velha secretária.
 Chegou, então, um senhor todo engravatado, com bom aspeto que disse:
                -Era mesmo isto que eu andava à procura!
                O Sr. Domingos voltou-se e comentou:
                -Mas estes livros já são velhos, e ninguém os abre há anos!
                O senhor prosseguiu com um ar de satisfação:
                -Sou colecionador de livros de História e ando à procura destes livros há muito tempo!
                O Sr. Domingos, admirado, continuou:
                -Se quiser pode levá-los. Esses e os que quiser!
                O senhor perguntou-lhe se era preciso pagar alguma coisa, mas o senhor Domingos respondeu-lhe, imediatamente, que não. Foi assim que partimos da Biblioteca que tão bem conhecíamos…
                Chegamos então a uma casa enorme, onde também havia muitos livros e coisas antigas. Parecia a biblioteca da cidade, mas era afinal um museu, um museu propriedade do tal senhor engravatado.
                Levou-nos para um gabinete, sacudiu-nos e limpou-nos. Passadas algumas horas, estávamos como novos. Até brilhávamos!
                Colocou-nos numa vitrina, virada para uma grande avenida. Todas as pessoas que passavam, paravam e olhavam para nós admiradas.
                E foi a partir desse dia que todas as pessoas, que iam visitar o museu, pediam ao guia para lhes falar desses livros da vitrina, perguntando mesmo onde podiam encontrar mais livros daquela coleção.
                Teriam as pessoas, a partir daí, começado a gostar de História? Será que as pessoas, agora, quando vão à biblioteca, também leem livros de História? Perguntava-me eu, um livro raríssimo que, há anos, ninguém abria...
  Cláudia Pimenta, 10ºD, Nº8
Dia Internacional da Biblioteca Escolar
No âmbito da comemoração do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, foram realizadas várias atividades  nas Bibliotecas do Agrupamento.
No Centro Escolar, os alunos do 1º Ciclo elaboraram várias chaves com mensagens, numa alusão ao tema proposto para este ano – Biblioteca Escolar: uma chave para o passado, presente e futuro.
As turmas do 2º Ciclo e também as do 7º ano visitaram a exposição patente na Biblioteca da Escola Sede, na qual puderam inteirar-se de algumas curiosidades sobre bibliotecas e livros, bem como apreciar uma pequena história da escrita, da pré-história aos nossos dias.
Destacam-se algumas mensagens deixadas pelos alunos num placard criado para o efeito.
“Os livros são uma fantasia inspirada na realidade.” (Ilídio Jorge, 5º A)
“A Biblioteca é um sítio onde posso ler livros, fazer os T.P.C.’s e pesquisar coisas no computador. Eu adoro a Biblioteca porque é um sítio silencioso onde eu posso estudar.” (Isabel Belo, 5º A)
“A Biblioteca é um dos lugares mais bonitos do mundo.” (Beatriz Silva, 5º A)
 “Quando eu entro na Biblioteca, sinto alegria.” (Mariana Oliveira, 5º C)
 “Na Biblioteca, entro e sinto amizade e o meu coração fica feliz.” (Daniel Pipa, 5º C)
 “A Biblioteca é uma casa de imaginação e é a nossa alegria; nela podemos aprender mais. Adoro a Biblioteca!” (Verónica Pinto, 5º C)
“Os livros fazem-nos viajar num mundo mágico.” (Marco Filipe, 5º C)
 “Adoro a Biblioteca porque é nela que os nossos sonhos crescem!” (Catarina Fernandes, 6º B)
“Os livros são os nossos melhores amigos, pois nunca se viram contra nós. A Biblioteca é um sítio espectacular, onde podemos fazer inúmeras coisas, incluindo ler.” (Bárbara, 7º B)
 “Eu gosto da Bibliteca porque podemos ler, fazer os trabalhos, pesquisar na internet… A biblioteca é um agasalho quando está frio ou a chover.” (Débora Gonçalves, 7º C)
“A Biblioteca é um sítio onde, com os livros, podemos ir a todas as partes do mundo. Gosto muito da Biblioteca!” (Joana Carvalho, 7º C)
 “A Biblioteca é um sítio espectacular, aqui já aprendi muitas coisas e vou aprender ainda mais. (Beatriz Carvas, 7º C)
“Os livros são uma ajuda para os sozinhos e as crianças.” (Rudi Lameira, 7º D)
Montage créé avec bloggif
DIA MUNDIAL DO LIVRO
No dia 23 de abril comemorou-se o Dia Mundial do Livro. O texto que se segue é da autoria da DGLB.
"Para assinalar esta data, a DGLB publicou um cartaz da autoria de Yara Kono, vencedora do Prémio Nacional de Ilustração do ano passado.  Como tem sido habitual nos últimos anos, o cartaz será distribuído pelas Bibliotecas Municipais e por algumas livrarias literatura infantil.
 Cartaz IBBY 2012
Ano: 2012
País: México
Tema: Era uma vez um conto que contava o mundo inteiro
Design Cartaz: Juan Gedovius
Mensagem: Francisco Hinojosa
A mensagem do IBBY e o respetivo cartaz, da responsabilidade do México em 2012, encontra-se disponível em http://www.ibby.org/index.php?id=1207&L=3.
A nossa BE celebra esta data  com a Feira do Livro Usado. Visita a tua BE!
Era uma vez um conto que contava o mundo inteiro Era uma vez um conto que contava o mundo inteiro. Na verdade não era só um, mas muitos os contos que enchiam o mundo com as suas histórias de meninas desobedientes e lobos sedutores, de sapatinhos de cristal e príncipes apaixonados, de gatos astutos e soldadinhos de chumbo, de gigantes bonacheirões e fábricas de chocolate. Encheram o mundo de palavras, de inteligência, de imagens, de personagens extraordinárias. Permitiram risos, encantos e convívios. Carregaram-no de significado. E desde então os contos continuam a multiplicar-se para nos dizerem mil e uma vezes: "Era uma vez um conto que contava o mundo inteiro…" Quando lemos, contamos ou ouvimos contos, cultivamos a imaginação, como se fosse necessário dar-lhe treino para a mantermos em forma. Um dia, sem que o saibamos certamente, uma dessas histórias entrará na nossa vida para arranjar soluções originais para os obstáculos que se nos coloquem no caminho. Quando lemos, contamos ou ouvimos contos em voz alta, estamos a repetir um ritual muito antigo que cumpriu um papel fundamental na história da civilização: construir uma comunidade. À volta dos contos reuniram-se as culturas, as épocas e as gerações, para nos dizerem que japoneses, alemães e mexicanos são um só; como um só são os que viveram no século XVII e nós mesmos, que lemos um conto na Internet; e os avós, os pais e os filhos. Os contos chegam iguais aos seres humanos, apesar das nossas grandes diferenças, porque no fundo todos somos os seus protagonistas. Ao contrário dos organismos vivos, que nascem, reproduzem-se e morrem, os contos são fecundos e imortais, em especial os da tradição oral, que se adequam às circunstâncias e ao contexto do momento em que são contados ou rescritos. E são contos que nos tornam seus autores quando os recontamos ou ouvimos. E também era uma vez um país cheio de mitos, contos e lendas que viajaram durante séculos, de boca em boca, para mostrar a sua ideia de criação, para narrar a sua história, para oferecer a sua riqueza cultural, para aguçar a curiosidade e levar sorrisos aos lábios. Era igualmente um país onde poucos habitantes tinham acesso aos livros. Mas isso é uma história que já começou a mudar. Hoje os contos estão a chegar cada vez mais aos lugares distantes do meu país, o México. E, ao encontrarem os seus leitores, estão a cumprir o seu papel de criar comunidades, de criar famílias e de criar indivíduos com maior possibilidade de serem felizes. Francisco Hinojosa (trad. Maria Carlos Loureiro) SEMANA DA LEITURA 2012 - REPORTAGEM (Conclusão)
Visita ao Lar da Santa Casa da Misericódia


Um momento marcante da Semana da Leitura foi a visita dos alunos das turmas 10º A e 11º D ao Lar da Santa Casa da Misericódia, onde levaram carinho, alegria e boa disposição, oferecendo flores e amêndoas acompanhadas de música e poesia. Foi um gesto de solidariedade e uma forma de atenuar a solidão daqueles que, embora carregando o peso dos anos, ainda têm muito para ensinar e partilhar.

 Aqui deixamos algumas fotos desses momentos, incluindo as fotos dos cestos que levavam as nossas ofertas (flores e amêndoas). O arranjo floral que deixámos a decorar a sala de estar do Lar, foi um belo trabalho da funcionária da nossa Biblioteca, Terezinha Lameirão. Também fundamental para a realização desta atividade foi a colaboração das professoras Adozinda Fontoura e Cristina Matos e também do professor João Paulo, de EMRC, que orientou a parte musical.


Parabéns a todos!



    




  
SEMANA DA LEITURA 2012 - REPORTAGEM (continuação)
9º A – “Onde há Galo, canta Galinha”

 Os alunos do 9º A também quiseram dar o seu contributo para a Semana da Leitura, representando, no auditório da escola sede, a peça “Onde há Galo, canta Galinha”.

 Este trabalho foi desenvolvido no âmbito do Clube de Teatro da escola, dinamizado pelas professoras Adelaide Borges, Elisa Varandas e Lurdes Cardoso e os alunos revelaram muito entusiasmo e empenho na sua preparação e apresentação.

O auditório acompanhou a representação com muito interesse e partilharam-se momentos de boa disposição.

Estes alunos, em conjunto com os restantes membros do clube, tem já agendada a sua participação noutra atividade, a desenvolver no final do ano, para toda a comunidade.


Aqui ficam algumas fotos dos nossos artistas:















Formação para Pais e Encarregados de Educação

A Semana da Leitura incluiu uma palestra para Pais e Encarregados de Educação dos alunos do Ensino Pré-escolar, no dia 21, dinamizada pela professora bibliotecária, e uma outra, realizada no dia 23, com a participação do formador Dr. Alfredo Leite, do Projeto Mundo Brilhante – atividades lúdico-pedagógicas (http://www.mundobrilhante.secxxi.com/).
Esta ação destinou-se a Pais e Encarregados de Educação dos alunos dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos e foi subordinada ao tema “Filhos que leem, filhos felizes”.
 Durante uma hora, o orador soube captar, de forma brilhante, a atenção, o interesse e a participação dos presentes, levando-os a refletir sobre a importância de incluir nos hábitos familiares conversas sobre livros e leituras, contos orais, provérbios e adivinhas, visitas a bibliotecas, etc.
Apelou ainda a alterações nos hábitos consumistas, sensibilizando os presentes para a pertinência de se oferecerem livros como forma de se estimular, nas crianças e nos jovens,  o gosto pela leitura e pelo conhecimento.
Os pais reconheceram a importância e o valor da palestra e receberam algumas sugestões para criarem nos seus filhos verdadeiros hábitos de leitura.
Em seguida, apresentam-se algumas fotos relativas a esta Formação.
SEMANA DA LEITURA 2012 - REPORTAGEM (continuação) Figuras das nossas Leituras
No dia 22 de março,  Figuras das nossas Leituras participaram no concurso Mesas de Páscoa, promovido pelo Departamento de Línguas. A atividade envolveu todos os alunos do Agrupamento e esteve integrada nas celebrações da Semana da Leitura
Além da decoração de cada mesa incluir a exposição de um poema, previamente selecionado pelos alunos, estes responderam positivamente ao convite da Biblioteca Escolar e desfilaram, no evento, caracterizados como autores ou personagens literárias, seus favoritos. O aluno Filipe Batista, do 9º A, conseguiu o melhor trabalho, ao desfilar no papel de Luís de Camões:

SEMANA DA LEITURA 2012 - REPORTAGEM (continuação)
Para uma leitura de Frei Luís de Sousa
No dia 20 de março, as turmas A e D do 11º Ano, orientadas pelos professores  José Carlos Moura e Adozinda Fontoura,   fizeram a representação de algumas cenas da peça Frei Luis de Sousa, de Almeida Garrett.
 Uns grupos foram fiéis à índole trágica do texto e, tal como preconizava Aristóteles, na sua Arte Poética, conseguiram, com grande sucesso, provocar nos espectadores terror e compaixão.
Outros, dando asas à sua criatividade, recriaram o texto e partindo do que era dramático, conseguiram fazer uma abordagem cómica das questões sérias e profundas que o texto coloca. À boa maneira vicentina, (ridendo castigat mores) procuraram, pelo riso, criticar e alterar comportamentos.


SEMANA DA LEITURA 2012 - REPORTAGEM
POEMAS AO VENTO
Abertura da Semana com lançamento de balões que transportavam Poemas ao Vento, criados pelos alunos, durante a semana anterior. Alguns desses poemas foram publicados na página inicial.
Aula de Internet Segura
No dia 28 de fevereiro de 2012, a turma do 6ºA assistiu a uma palestra sobre a Internet Segura. Devido à falta do professor  de Matemática, a professora/bibliotecária Eduarda foi  dar-nos algumas dicas de como navegar seguramente. O primeiro assunto a tratar foi uma questão simples: Quem tem computador? E Internet? Foram poucos os que responderam negativamente. Um dos assuntos abordados foi as informações que adicionávamos nas redes sociais como Facebook, Twiter, etc. Ficámos a saber que não devemos colocar informações pessoais, como nome verdadeiro, morada, escola, idade, cidade… nem fotografias, pois a indicação desses dados podem levar a situações de risco, inclusivamente a raptos ou bulliyng.  Quem optar por colocar essas informações, deve restringi-las apenas a amigos, ou seja  não deixar todas as pessoas visualizar essas informações. Também aprendemos como ativarmos a navegação segura. Na minha opinião foi uma aula educativa e essencial para aqueles que menos aceso têm a estas informações. Pessoas presentes na aula: Mariana Jeremias, Cláudia Ribeiro, Verónica Martins, Eduardo Teixeira, João Dias, Joana Dias, Beatriz Sá, Gonçalo Carvalho, Gonçalo Marques, Francisco Pinto e João Guedes. Trabalho realizado por: Eduardo Lemos Teixeira/6º A, Nº7
AÇÃO DE FORMAÇÃO - LITERACIA ESTATÍSTICA AO SERVIÇO DA CIDADANIA
Decorreu, no dia 15 de fevereiro, na escola sede, uma ação de formação do Instituto Nacional de Estatística sobre “ Literacia Estatística ao Serviço da Cidadania- Portal do INE e Projecto ALEA- Uma Primeira Abordagem”.
A referida ação faz parte do plano Anual de Actividades da BE e foi promovida, em parceria, pela  RBE e o INE, tendo como público-alvo docentes de Matemática, História, Geografia e Economia.
O formador, Dr. Ângelo Nunes, soube motivar os 14 participantes e conseguiu comunicar claramente os conteúdos, mostrando as potencialidades dos projetos ao serviço da atividade do professor e do currículo.
                     AÇÃO DE FORMAÇÃO - LITERACIA DE INFORMAÇÃO  
     A nossa BE promoveu no pretérito dia 1 de fevereiro, uma ação de formação para docentes subordinada ao tema “Literacia da Informação”.
     A sessão foi orientada pela Drª Maritza Dias, Coordenadora Interconcelhia da RBE e contou com a presença de cerca de 90 participantes não só do nosso Agrupamento de Escolas mas também do Agrupamento de Pedras Salgadas.      A formadora conseguiu, de forma muito peculiar, cativar o interesse do auditório, não só pela sua enorme facilidade de comunicação, mas também pela forma como trabalhou a pertinência da temática.
        Síntese dos aspectos focados:
Trabalhos realizados pelos alunos do Pré-escolar e 1º Ano de Pedras Salgadas, no âmbito da comemoração do dia do compositor.
  • A Literacia da Informação deverá ser integrada transversalmente no currículo, pois as aprendizagens tornam-se mais significativas quando operacionalizadas de forma interdisciplinar e /ou ligadas às necessidades do utilizador.
  • Compete aos docentes e equipa da BE, em trabalho articulado, dotar os alunos de competências que lhes permitam localizar, selecionar, analisar e utilizar (de forma crítica) fontes de informação de modo a produzirem nova informação.
  • A escola terá que adotar metodologias baseadas nas teorias construtivas, ativas, que conduzam a uma aprendizagem permanente, actualizada e ao longo da vida, visto que, os nossos alunos, nativos digitais, esperam que a escola os prepare para o mundo do trabalho. 
  • AUTOAVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO
        
           Decorreu, no passado dia 25 de janeiro, no auditório do edifício da Escola Secundária, a apresentação pública dos resultados do 1º processo de auto-avaliação do nosso Agrupamento de Escolas. 
         Congratulamo-nos pela opinião muito positiva que todos os intervenientes neste processo, tiveram em relação às instalações, aos recursos e aos serviços da nossa Biblioteca Escolar. 
         Um aspeto a melhorar será a comunicação contínua com todos os intervenientes do processo ensino/aprendizagem, analisando com os docentes as oportunidades de colaboração  para que estes utilizem o espaço e os diversos recursos da BE, tendo em vista a melhoria dos resultados escolares.                              
     
     

Sem comentários:

Enviar um comentário